Comunicação para Negócios | Pierangeli | Ghost Writer. A arte de assumir a Voz do Cliente
19
post-template-default,single,single-post,postid-19,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,qode-theme-ver-12.1.1,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.4,vc_responsive

Ghost Writer. A arte de assumir a Voz do Cliente

Ghost Writer. A arte de assumir a Voz do Cliente

Por definição, o termo escritor fantasma (em português) refere-se ao profissional experiente especializado em prestar serviços de redação de textos às pessoas que não têm tempo ou não têm a habilidade para escrever.

Toca o telefone. Do outro lado da linha existe alguém precisando se expressar, contar uma história, transmitir seu conhecimento, informar algo; mas não tem ideia de como fazer isso e nem por onde começar. Escuto sua necessidade com o máximo de atenção e já vou entrando na pele do meu interlocutor. Conecto com ele para saber o que está sentindo, o que deseja comunicar e com quem deseja falar.

Algumas pessoas tem um imenso bloqueio para se comunicar ou escrever, simplesmente por falta de habilidade ou treino. Outros se comunicam muito bem, dominam sua área de atuação, mas não tem técnica ou tempo disponível para transpor suas ideias para o papel.

Como um ator usa sua técnica para entrar no personagem, assumindo suas características, eu entro no Universo do cliente para dar voz e significado aos seus pensamentos e sentimentos.

 

E assim começa o trabalho como Escritor Fantasma

É preciso encontrar a Voz do Cliente com precisão cirúrgica – É um grande (e delicioso!) desafio acertar seu estilo, respeitar seu vocabulário, conteúdo e a forma como ele costuma se expressar. Um Ghost Writer sente o que o outro sente, com técnica e muito cuidado para preservar sua personalidade, afinal, no final da “nossa” obra o cliente deve ser reconhecido em cada frase, como se tivesse escrito com suas próprias mãos.

O faro jornalístico é um grande aliado na investigação

Fazemos muitas perguntas, recolhemos impressões, memórias, pensamentos e sentimentos. Tateamos tudo que encontramos e que nos ajude a compor a história. Em alguns casos começamos da estaca zero, apoiando somente nas conversas e troca de ideias para conhecer seu estilo e seu modo de ser. A partir disso produzimos o texto que será um reflexo da personalidade do cliente com autenticidade, discrição e no anonimato.

Políticos, esportistas, figuras públicas e empresários costumam procurar as mãos hábeis de um Ghost Writer para escrever discursos, autobiografias, livros, contar algum fato ou registrar sua versão sobre um acontecimento. É uma prática muito comum nos EUA., uma profissão antiga, mas não muito conhecida, nem divulgada nos meios de comunicação.

GW famosos

Um bom exemplo do trabalho desenvolvido por um Ghost Writer é o livro de Bruna Surfistinha “O Doce Veneno do Escorpião – O Diário de uma Garota de Programa“, onde o Ghost Writer Jorge Tarquino conta, com detalhes, as histórias verídicas de Bruna.

No cinema, o diretor Roman Polanski (2010) contou, com perfeição, a história de um Ghost Writer contratado para fazer a autobiografia do primeiro-ministro e acaba ameaçado de morte no filme britânico The Ghost WriterAdam Lang (Pierce Brosnan) é um ex-primeiro ministro britânico que vive em semi-exílio numa ilha do Maine, Estados Unidos. Duramente criticado por ter autorizado a prisão e tortura de suspeitos de terrorismo, Lang trabalha em sua autobiografia, pela qual recebeu US$ 10 milhões antes mesmo de começar a escrever. Quando McCrea, velho amigo de Lang e autor do livro, morre, a editora logo contrata um substituto (Ewan McGregor). Ghost writer do livro, ele vai entrevistar o político e concluir o manuscrito já pronto, mas em meio a acusações e suspeitas de que McCrea foi assassinado, o escritor passa a temer por sua própria vida. Veja o trailer:

Um Ghost Writer pode te ajudar, basicamente, em 5 situações:

  1. Pessoas que não estão tão treinadas para escrever bem, organizar seu turbilhão de ideias de forma atraente e isso, realmente, exige técnica
  2. Profissionais bem conceituados na sua área de trabalho que se expressam muito bem, tem um bom conteúdo, mas não têm tempo para pesquisar e escrever
  3. Pessoas que escrevem bem, mas não tem “texto final”, isto é, precisam de uma edição profissional para fechar seu texto com estilo e graça
  4. Quem já tem um texto pronto, mas precisa de uma boa edição para que ele atinja seu público-alvo, de acordo com as melhores técnicas de marketing – SEO
  5. Quem tem o manuscrito de um livro ou uma ideia para escrever um e precisa de revisão e edição profissional antes que ele seja publicado

Vestir a pele do cliente

Lembro-me quando fui contratada por uma indústria multinacional sueca, há alguns anos. Vibrei de felicidade porque era e ainda é uma empresa líder no setor de usinagem. Uma gigante! Ao ser entrevistada pelo diretor de marketing (pessoa maravilhosa que é meu amigo até hoje!) fiquei sabendo que eu escreveria sobre pastilhas de metal duro intercambiável. Em um primeiro momento fiquei perplexa! O que seria aquilo? Então ele me levou, pacientemente, para conhecer o carro-chefe da empresa. Uma peça milimétrica que habita os motores. Acho que esse foi o meu primeiro desafio na arte de vestir a camisa de uma empresa e aprender, de verdade, sua cultura. Hoje, acho que foi um preparo para começar a escrever pelas pessoas.

A questão dos diretos autorais

Um Ghost Writer trabalha silenciosamente, isto é, ele não aparece. A propriedade intelectual da obra fica para o contratante e o escritor não recebe créditos de autoria pelo texto. Isso faz parte de um contrato, ou acordo de cessão de direitos autorais sobre a obra, tanto para pessoa física quanto jurídica.

Não há uma área específica em que o trabalho de um ghost writer é mais requisitado. Podemos escrever sobre os mais variados assuntos em diversos formatos – livros, artigos, textos diversos como emails bem elaborados, apostilas, apresentações, palestras e outros materiais, inclusive os digitais – e-books, posts para redes sociais, sites e blogs. O que é realmente importante é a qualidade de sua redação, a ortografia e a gramática, além de um trabalho preciso de curadoria, muita pesquisa e validação das informações. Basicamente trata-se de pura técnica!

Ghost Writers não detém a autoria dos textos que escrevem. Um GW profissional não encara isso como um problema, mas como uma boa oportunidade pessoal para se distanciar emocionalmente dos textos e escrever com mais liberdade.

Agora você já sabe que é uma prática comum pedir para alguém escrever POR você. Contratar um escritor fantasma para te ajudar é uma forma profissionalde mostrar sua expertise e alcançar mais sucesso na carreira e negócios.

Sobre a autora: 

Catarina de Melo Pierangeli – Jornalista apaixonada pela comunicação ajudando empresas e profissionais a conquistar reputação online e visibilidadePós-graduada em Gestão da Comunicação em Mídias Digitais com mais de 28 anos de experiência em Comunicação Corporativa. Atualmente atua como diretora executiva na dmelo comunicação, consultora, professora, palestrante, ghost writer. Linkedin heavy user e colunista regular do Pulse. Pesquisadora atuante da Comunicação Multiplataforma e produtora profissional de conteúdo para diversas empresas , profissionais e canais.

Mantenha contato. Quero te ver por aqui!

  • catarina@dmelocomunicacao.com.br
  • Clique em seguir para receber, em primeira mão, os avisos do Linkedin sobre meus novos artigos!
  • Siga-me também no Facebook

Gostou do artigo e acha que ele pode ajudar outras pessoas? Então curta, comente e compartilhe com sua rede de amigos!

No Comments

Post A Comment