Comunicação para Negócios | Pierangeli | Sua mente reativa pode estar bloqueando sua vida
279
post-template-default,single,single-post,postid-279,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,qode-theme-ver-12.1.1,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.4,vc_responsive

Sua mente reativa pode estar bloqueando sua vida

Sua mente reativa pode estar bloqueando sua vida

Você sente verdadeiro pânico quando precisa fazer uma apresentação em público ou trava quando precisa participar de uma simples reunião com muitas pessoas? Na hora de falar você gagueja, sua frio e tem aquele branco?

Você pode estar sendo vítima de sua mente reativa

Este é apenas um exemplo de como as situações mal resolvidas podem ser nocivas e bloquear sua vida e sua carreira. Quem trabalhou muitos anos no mundo corporativo, já viveu experiências de todo tipo e tem muitas histórias para contar. Algumas não passam de doces lembranças, e outras, verdadeiros pesadelos.

As experiências difíceis, muitas vezes, só vem confirmar crenças negativas e limitantes que interiorizamos ao longo da nossa vida. Boa parte delas nasceu na infância quando ouvimos de nossos pais ou de pessoas que admiramos e confiamos que não somos capazes de fazer determinada coisa, que não temos talento, somos preguiçosos, falantes demais, que não fazemos nada direito e assim por diante.

Essas frases, aparentemente inofensivas, são captadas por nossa mente analítica em fase de formação causando um grande trauma que pode ficar armazenado durante toda a vida no nosso inconsciente.

Vamos falar sobre um exemplo simples que muitas pessoas já viveram e que pode bloquear uma carreira: Quando você era pequeno e costumava dar sua opinião sobre tudo o que acontecia até que começou a ser advertido pelos seus pais ou professores dizendo “isso não é da sua conta” ou “cuide da sua vida”. Podem, inclusive te-lo repreendido publicamente ou te-lo ridicularizadona frente e outras pessoas. Esse fato pode ter ficado guardado em uma parte da sua mente e, sempre que você tem que participar de uma reunião de negócios onde é convocado a dar sua opinião você entra em pânico e trava. Isso acontece porque sua mente computa e responde conforme uma interpretação literal da gravação que foi feita na sua infância.

O disparo do gatilho

Quando vivemos um a situação de conflito é como se o gatilho de uma arma fosse disparado e, imediatamente, começamos a sentir as emoções daquela época da infância quando o trauma foi originado. Esse disparar do gatilho é chamado de Mente Reativa, um mecanismo descoberto pelo educador e pesquisador, L. Ron Hubbard, em 1952, fundador da dianética e cientologia que desenvolveu técnicas precisas para enfrentá-la. Estas técnicas podem efetivamente “apagar” o conteúdo da mente reativa e eliminar a possibilidade que tais gravações têm para afetar a pessoa sem o seu conhecimento consciente.

vídeo sobre dianética, em português de Portugal, explica com detalhes as armadilhas da mente reativa.

Mas afinal, o que é Mente Reativa?

Mente Reativa é a parte da mente que grava todas as impressões experimentadas durante momentos de:

  1. Inconsciência como:anestesia, hipnose, efeito de álcool ou drogas
  2. Dores emocionais como: situações de baque emocional, perdas, fracassos, luto
  3. Dores físicas suficientes para reduzir a capacidade analítica até um ponto abaixo da plena consciência; e que entra em ação quando entende que o organismo está correndo algum risco, o que nem sempre é real

Comportamentos aparentemente inexplicáveis são disparados nesse momento. São sentimentos de raiva, as angústia, medos, respostas agressivas e ríspidas dadas por sua Mente Reativa que entra em ação alheia à sua vontade ou permissão racional.

De acordo com o pai da dianética, Ron Hubbard, no livro Dianética – O Poder da Mente sobre o Corpo, “durante a terapia de dianética, os arquivos gravados na mente reativa são contatados e suas cargas de pesar e de dor são aliviadas. Isso faz com que a emoção negativa que estava impregnada na experiência ruim, seja apagada e estes arquivos são realocados na Mente Analítica, sem a dor, e desta forma a energia vital do indivíduo é liberada e melhora o funcionamento de sua mente analítica, a parte perfeita e racional da Mente”. O livro logo entrou na lista de best sellers do jornal The New York Times e acumula 20 milhões de cópias vendidas desde o lançamento,em 1950.

Em uma matéria publicada pela revista Super interessante “Dianética e o Poder da Mente“, a jornalista Nina Weingrill diz que a cientologia, religião de Tom Cruise, John Travolta e outras celebridades de Hollywood, já contabiliza meio milhão de adeptos, em 156 países, inclusive no Brasil.

Traumas e Inteligência Emocional

No ambiente profissional, um trauma pode desequilibrar uma pessoas e comprometer sua produtividade. Mas existem várias maneiras de trabalhar a inteligência emocional para impedir que o trauma emocional prejudique sua carreira. Veja algumas dicas da Sbie – Sociedade Brasileira de Inteligência Emocional:

 

  1. Aprenda – O primeiro passo para superar um trauma emocional é encontrar o aprendizado por trás da dor. Todos os acontecimentos têm alguma coisa a ensinar, inclusive as experiências ruins.
  2. Não lute contra a vida – Não fique remoendo situações que não foram causadas por você, como a morte de alguém querido, o abandono paterno ou materno, um acidente ou a ocorrência de uma doença. Não lute contra coisas que estão fora do seu controle e que não dependem de você.
  3. Entenda o sentido que você dá ao trauma – Questione o sentido que você tem dado aos acontecimentos. O trauma emocional o tornou uma pessoa mais forte ou mais frágil? Você fala sobre o acontecimento como uma superação ou como uma vítima? Perceba no que você transformou esse trauma emocional e qual sentido você poderia dar para amenizar a dor.
  4. Cuide das emoções – Não importa como ou quando o trauma emocional foi gerado. Ele estará sempre no seu subconsciente, seja como uma memória que trouxe aprendizado ou como uma dor que cria mecanismos inconscientes de proteção.

 

Muitas pessoas não conseguem encontrar seu ponto de equilíbrio emocional porque ficam presas a um trauma que foi reprimido e que ainda causa dor. É impossível voltar no tempo e mudar o que já aconteceu, mas você pode dar novos significados e interpretações a esses acontecimentos, impedindo que eles prejudiquem sua vida.

Entenda a diferença ente Cientologia e Dianética:

Fonte: http://www.scientology.pt/

Dianética tem origem nas palavras gregas dia significa “através” e nous significa “mente” ou “alma”.Dianética é adicionalmente redefinida como o que a alma está a fazer ao corpo. Revela a fonte de medos irracionais, inseguranças e perturbações, dores, sensações e emoções, (doenças psicossomáticas) inexplicáveis e conjuntos de resoluções eficazes para estas condições. Ao utilizar os procedimentos de Dianética tornou–se evidente que a fonte dessas condições não eram as células ou memória celular, mas um estado de ser, que desafiava o tempo. A Dianética é uma precursora e um sub estudo da Scientology.

Cientologia ou Scientology é definida como o estudo e tratamento do espírito em relação a si mesmo, universos e outras formas de vida. Através da prática de Scientology pode aumentar a sua consciência espiritual e capacidade e perceber a sua própria imortalidade.

Quer saber mais?

  1. Pesquise no site da Associação Brasileira de Dianética – Dianética Basil. Lá você encontrará um vasto material, cursos, eventos e artigos sobre o tema.
  2. Wikipedia traz informações bem abrangentes contextualizando a Dianética no mundo e suas origens.
No Comments

Post A Comment